Instituto Ouro Verde é um dos 11 finalistas em premiação da FGVces, organizada pelo Projeto Bota na Mesa

Publicada em 11/09/2019 13:51:29 - Visualizada 231 vezes

O Instituto Ouro Verde foi um dos selecionados para participar da premiação de 12 projetos nacionais que serão apresentados pelo Projeto Bota na Mesa, através do Centro de Estudos em Sustentabilidade (FGVces) da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV/EAESP) no dia 12 de setembro.

Veja matéria da assessoria do evento e saiba mais:

 

FGVces apresenta casos de inovação para a inclusão da agricultura familiar

O Projeto Bota na Mesa, responsável pela iniciativa, apresentará no dia 12 de setembro, na FGV em São Paulo, 12 casos selecionados dentro dos temas: Mudança do Clima e Transição Agroecológica

O Centro de Estudos em Sustentabilidade (FGVces) da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV/EAESP) apresentará no dia 12 de setembro, na FGV de São Paulo, 12 casos de inovação para a inclusão da agricultura familiar em cadeias de alimentos. A iniciativa, realizada por meio do Projeto Bota na Mesa, é desenvolvida em parceria com o Citi e patrocinada pela Citi Foundation.

Neste ano, com os temas Mudança do Clima e Transição Agroecológica, a chamada realizada em maio e junho recebeu 80 inscritos e desses 12 foram selecionados em todas as regiões do país, com o objetivo de inspirar a construção de referências de atuação para empresas e governos da cadeia de agricultura e alimentação.

Os projetos serão apresentados em rodas de conversa. A proposta do FGVces é dar visibilidade a essas iniciativas e aos destaques de suas soluções: inovação em assistência técnica, biomas brasileiros, com foco em Amazônia e semiárido, e protagonismo de organizações governamentais.

O evento reunirá diversos atores que representam a diversidade e a complexidade dos desafios: agricultores e cooperativas, redes varejistas, indústrias de alimentos, pequenos negócios e startups, organizações da sociedade civil, além de representantes do setor público e pesquisadores.

Para selecionar os casos, pesquisadores do FGVces levaram em consideração o grau de inovação, a conexão com os temas de transição agroecológica e mudança do clima, a contribuição para a inclusão da agricultura familiar e o potencial de escala e replicabilidade de cada iniciativa.

Programação:

13h00 – Credenciamento e recepção

14h00 Abertura: A liberdade como exercício da responsabilidade nas transformações

Lia Diskin – Confundadora do Instituto Palas Athena, escritora, jornalista e estudiosa nos temas de Direitos Humanos, Cultura de Paz e Filosofia

14h30 Divulgação do resultado da 2ª Chamada de Casos

Premiação dos 12 projetos brasileiros selecionados

15h30 Roda de conversa com os projetos selecionados

Apresentação dos projetos e discussão em três temas:

• Inovação em assistência técnica

• Desafios dos biomas brasileiros: amazônico e semiárido

• Protagonismo de organizações governamentais

17h30 – Enceramento e café da tarde

 

Conheça as iniciativas selecionadas:

Agroflorestando a Amazônia

Objetivo: Promover o desenvolvimento regional pela produção agroecológica de agricultores familiares, ampliando a segurança alimentar e nutricional, a geração de renda com preservação ambiental, o envolvimento familiar e o bem viver das comunidades locais, através da gestão coletiva e integração de ações.

Organização proponente: Instituto Ouro Verde

Localidade: Alta Floresta (MT)

Contato: Alexandre - alexandre@ouroverde.org.br

 

Cafés Agroecológicos da Chapada Diamantina

Objetivo: Melhorar a produção orgânica e agroecológica dos pequenos agricultores da Chapada Diamantina por meio de melhor manejo das culturas, seleção de sementes e aumento da diversidade agrícola com árvores frutíferas locais.

Organização proponente: Cooperativa de Produtores Orgânicos e Biodinâmicos da Chapada Diamantina (COOPERBIO)

Localidade: Abaira, Piatã e Seabra (BA)

Contato: Brígida Salgado - brigidasalgado@gmail.com

 

Escola Itinerante de Agroecologia

Objetivo: oferecer cursos e assessoria técnica em agroecologia junto às comunidades e associações de agricultores, para produção de alimentos saudáveis e serviços ambientais na porção norte da rodovia BR 319. Dentre os objetivos específicos do projeto, destaca-se a redução do desmatamento, evitando a abertura de novas áreas de produção.

Organização proponente: Casa do Rio

Localidade: Careiro e Autazes, próximo a Manaus (AM)

Contato: Sidney - casadorio@casadorio.org

 

Maneje Bem – A Rede Social para agricultores familiares

Objetivo: Mitigar a falta de assistência técnica especializada em produção sustentável por meio de uma rede de conexão entre produtores, técnicos e pesquisadores em prol de uma agricultura mais sustentável.

Organização proponente: Maneje Bem

Localidade: Florianópolis (SC)

Contato: Juliane Leminski - juliane_julieta@hotmail.com

 

Políticas Municipais de Incentivo à Fruticultura e de Pagamento por Serviços Ambientais

Objetivo: Implantar ações de proteção aos recursos hídricos, proteção, formação de fragmentos florestais e adequação ambiental da propriedade mediante o recebimento de contrapartida a ser financiada pela Prefeitura. Dentre os objetivos específicos, destaca-se que as políticas também buscam evitar o êxodo rural, devido às pressões do setor imobiliário nos imóveis .

Organização proponente: Prefeitura Municipal de Louveira

Localidade: Louveira (SP)

Contato: Claudio Scalli - claudio.ga@louveira.sp.gov.br

 

Projeto Cacau Floresta

Objetivo: Promover os Sistemas Agroflorestais com cacau como alternativa de renda e de restauração florestal e assim mitigar o desmatamento nesta região. Também é destacado dentre os objetivos do projeto o potencial de influenciar a indústria de cacau do Pará, apresentando exemplos baseados em campo de cacau cultivados de forma sustentável, que podem então ser expandidos para outras regiões do Brasil e países produtores de cacau em todo o mundo.  

Organização proponente: The Nature Conservancy (TNC)

Localidade: São Félix do Xingu e Tucumã (PA)

Contato: Rodrigo Freire - rfreire@TNC.ORG

 

Projeto Piloto de Combate à Desertificação na Região do Seridó do RN

Objetivo: Implementar ações adaptadas a seca voltadas para redução e mitigação dos efeitos da degradação em terras susceptíveis à desertificação a partir da implantação de unidades demonstrativas de tecnologias e aprendizagens de convivência sustentável com a semiaridez.

Organização proponente: Secretaria de Estado do Planejamento e das Finanças do Rio Grande do Norte (SEPLAN-RN)

Localidade: Carnaúba dos Dantas, Parelhas e Equador (RN)

Contato: Fernando Mineiro - mineirorncidadao@gmail.com

 

Programa de Desenvolvimento Territorial Rural

Objetivo: participar no desenvolvimento territorial por meio do diálogo com as comunidades rurais vizinhas, fortalecendo suas organizações e redes, tendo como premissa os princípios agroecológicos.

Organização proponente: Suzano Papel e Celulose

Localidade: O programa é desenvolvido em 32 municípios dos estados de São Paulo, Espírito Santo, Bahia, Mato Grosso e Maranhão.

Contato: Giordano Bruno Barbosa Automare - giordano.automare@suzano.com.br

 

Programa Mais (Módulo Agroclimático Inteligente e Sustentável)

Objetivo: Criar um programa permanente de inclusão produtiva para pequenos e médios produtores familiares da cadeia produtiva de cooperativas e empresas agropecuárias, utilizando técnicas de agricultura regenerativas e práticas agroecológicas consolidadas para resiliência climática e recuperação das áreas degradadas das famílias produtoras.

Organização proponente: Adapta Group

Localidade: Rio de Janeiro (RJ)

Contato: Daniele Cesano - dcesano@adaptagroup.com

 

Protocolo de Transição Agroecológica do Estado de São Paulo

Objetivo: estimular a transição da produção agrícola convencional para sistemas de produção mais sustentáveis como os orgânicos, agroecológicos ou naturais - aumentar a oferta de alimentos saudáveis para a população - aumentar o acesso a mercados para agricultores/as, agregando valor ao produto em transição, propiciando melhor competitividade e renda da agricultura familiar.

Organização proponente: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Localidade: São Paulo (SP)

Contato: Andrea Mayumi - andreamc@sp.gov.br

 

Sistema de Plantio Direto de Hortaliças

Objetivo: Viabilizar tecnologias e processos para a transição de cultivos em sistemas convencionais de produção para sistemas com enfoque agroecológicos, apropriados a realidade da Agricultura Familiar e as demandas da sociedade por alimentos saudáveis.

Organização proponente: EPAGRI-SC

Localidade: Florianópolis (SC)

Contato: Marcelo Zanella - marcelozanella@epagri.sc.gov.br

 

Sistema Participativo de Garantia da Região Metropolitana de Belo Horizonte

Objetivo: Promover a cooperação institucional para o fortalecimento da agroecologia na Região Metropolitana, Colar e entorno de Belo Horizonte, com vistas à implantação do Sistema Participativo de Garantia – SPG. Dentre os objetivos específicos da iniciativa, destaca-se a conservação integrada das unidades de conservação e áreas de amortecimento.

Organização proponente: Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Localidade: Belo Horizonte (BH)

Contato: Eulalia de Lima Gomes - eulalialima@pbh.gov.br

 

 

Sobre o Bota na Mesa

Realizado pelo FGVces em parceria com o Citi e patrocinado pela Citi Foundation e Fundação Cargill, o projeto Bota na Mesa é uma iniciativa que busca incluir a agricultura familiar na cadeia de alimentos em grandes centros urbanos, considerando o comércio justo, a conservação ambiental e a segurança alimentar e nutricional. Com o projeto, o FGVces espera contribuir para que haja mais transparência nos relacionamentos e para que o papel social e ambiental do pequeno produtor esteja refletido em uma cadeia de alimentos mais justa e inclusiva.

Em 2018, foram lançadas as Diretrizes Públicas e Empresariais para a Inclusão da Agricultura, tomando como base três temas prioritários: relações de consumo; juventude na agricultura; infraestrutura e tecnologia. Dando continuidade a esta agenda, em 2019, o projeto está trabalhando na construção de diretrizes para dois novos temas: mudança do clima e transição agroecológica. Paralelamente, será estruturada uma agenda de reuniões com o setor empresarial e representantes de governo, a fim de disseminar as diretrizes elaboradas em 2018 e articular esforços para a sua implementação.

Mais informações sobre o projeto: http://gvces.com.br/projeto-bota-na-mesa

 


Por Assessoria da FGVces