Foto cedida por João Gilberto Milanez
Olá visitante, caso tenha
cadastro efetue o login aqui!

Publicações do grupo

  • Descrição da Publicação

    Sistemas agroflorestais (SAF) são reconhecidos por contribuir com a agrobiodiversidade e com a conservação biológiva além de melhorar a geração de renda em propriedades rurais, e têm sido apontados como mecanismos para a restauração florestal e de paisagens, colaborando com o aumento da sustentabilidade e resiliencia nessas áreas. Os SAF auxiliam a adequação legal de propriedades rurais em áreas desmatadas, como é o caso do Território da Cidadania do Portal da Amazônia (MT), onde a ONG Instituto Ouro Verde tem incentivado sua adoção como estratégia de restauração. Esse Trabalho teve por objetivo, sistematizar e organizar em um sistema de informação geogréfica (QGIS) as informações dos SAF implantados nos municípios de Alta Floresta, Apiacás, Carlinda, Nova Canaã do Norte, Nova Guarita, Nova Santa Helena e Terra Nova do Norte. Nesses sete municípios 52% da área é ocupada por imóveis rurais, a maioria de agricultura familiar. Foram mapeados 751 imóveis rurais (7,9% do total) onde 1132 SAF foram implementados entre 2010 e 2017. São 821 SAF de restauração (em APP, com 525 nascentes restauradas) e 311 SAF de produção. O elevado número de SAF em APP apontam que sua implantação contribui para a restauração de áreas degradadas, e os números referentes a SAF de produção demonstram a aceitação por um número significativo de agricultores com opção para melhoria de renda e segurança alimentar. Os mapas gerados mostram a distribuição desses SAF por toda a paisagem do Portal da Amazônia, e indicam a melhoria da qualidade da paisagem em várias escalas (propriedades, microbacias e municípios).
  • Descrição da Publicação

    RESUMO O presente artigo é resultado de investigação teórica e conceitual, pesquisa e análise bibliográfica sobre a teoria da resiliência em sistemas socioecológicos, e de uma breve avaliação de como esses conceitos vêm sendo incorporados e inseridos em pesquisas desenvolvidas em áreas rurais, com os objetivos de apresentar conceitos sobre resiliência em sistemas socioecológicos e levantar os temas vinculados a essa questão na literatura. Foram analisados 34 artigos científicos publicados na última década, a partir de 12 temáticas relacionadas à resiliência socioecológica. Conclui-se que esforços de recuperação socioecológica podem promover a resiliência em áreas rurais. O caminho para garantir essa resiliência, em diferentes escalas na paisagem rural, envolve práticas mais sustentáveis e novas tecnologias sociais, melhoria dos sistemas de gestão e governança, valorização da cultura e do modo de vida rural e políticas públicas mais efetivas. Palavras-chave: teoria da resiliência, adaptação, sustentabilidade.
  • Descrição da Publicação

    Resumo: O objetivo deste trabalho foi avaliar a situação e a qualidade das informações geográficas declaradas no CAR de propriedades rurais familiares, situados em uma microbacia hidrográfica tributária ao Rio Tele Pires, no município de Carlinda/MT. Foram analisados dados geoespaciais adquiridos na base do SiCAR e materiais cartográficos cedidos pelo ICV (Instituto Centro de Vida); utilizou-se ferramentas de geoprocessamento em SIG para análise dos dados de ambas as bases e avaliação da qualidade das informações declaradas no CAR. Constatou-se a não declaração do CAR por 17% imóveis rurais inseridos na microbacia e um grande número de inconsistências associadas a sobreposição de delimitações com imóveis vizinhos, não declaração de usos e coberturas do solo, imprecisão no traçado da rede hidrográfica e ausência de declarações de Áreas de Preservação Permanente, além de dados vetoriais inválidos e com falhas de digitalização. Palavras-chave: Sistemas De Informação Geográfica, Dados Geoespaciais, Planejamento Territorial Rural.
  • Descrição da Publicação

    Resumo: Um dos grandes desafios na gestão do uso da terra nas áreas de agricultura familiar é estabelecer metas e transformá-las em ações organizacionais efetivas, capaz de atender as necessidades familiares de forma sustentável. Nesse contexto o objetivo do trabalho foi o de avaliar a evolução da cobertura e uso da terra e indicar necessidades de práticas agroecológicas para a reintrodução do componente arbóreo e para a melhoria da paisagem em áreas de agricultura familiar do município de Carlinda, Mato Grosso. No QGIS foram processadas as informações de cobertura e uso da terra dos anos de 2000, 2010, 2012 e 2014, as métricas de análise de paisagem foram geradas no FRAGSTATS. O desflorestamento em 2000 era de 64% e aumentou para 71% em 2014. Carlinda possui 2225 imóveis rurais sendo que 96,2% tem até 4 módulos fiscais, nessas áreas, em 2014, eram 8% de vegetação nativa e praticamente 70% de pastagem com manejo e agricultura. Espera-se que por meio da adoção de práticas agroecológicas, seja possível promover a inserção do componente arbóreo, promovendo aumento efetivo dos mosaicos de vegetação, ampliando as áreas em que a vegetação florestal e o cultivo de espécies de interesse agrícola coexistem. Palavras-chave: Desmatamento, Análise De Paisagem, Sistema De Informação Geográfica.
  • Descrição da Publicação

    Resumo: Este artigo teve como objetivo mapear o uso do solo em uma microbacia hidrográfica de imóveis rurais familiares na Amazônia Matogrossense, analisando a estrutura da paisagem e a conectividade de fragmentos de vegetação nativa no cenário atual e em simulações com as Áreas de Preservação Permanente (APP) restauradas, considerando ou não as rupturas no cruzamento com estradas rurais. O mapa dos fragmentos foi elaborado com base em imagem de satélite de 2017, e mapas de hidrografia e de declividade foram utilizados para determinar as APP. Compararam-se três cenários: real (floresta atual); ideal com estradas (floresta atual acrescentada da restauração das APP e efeitos de estradas); e ideal sem estradas (floresta atual acrescentada da restauração das APP), baseado em métricas da paisagem. Os resultados indicam que os remanescentes florestais da microbacia estudada apresentaram-se intimamente ligados à presença de corpos de água, geralmente em tamanhos menores e formatos regulares. As APP possuem 38% de suas áreas desmatadas com implantação de pastagens, áreas agrícolas e residências. A restauração das APP aumentaria o tamanho dos fragmentos e a conectividade entre eles, constituindo corredores de floresta marginal, entretanto, contribuiriam pouco para o aumento em área total de cobertura de vegetação nativa, e a sua largura não garante a funcionalidade efetiva como corredores para os fluxos ecológicos. As conclusões fazem uma crítica à legislação ambiental vigente, e apontam alternativas para melhorar a conservação dos remanescentes florestais da área estudada. Palavras-chave: Restauração Florestal, Corredores Ecológicos, Remanescentes Florestais, Sistemas de Informação Geográfica, Métricas de Paisagem.
  • Descrição da Publicação

    Resumo: As sementes florestais podem ser consideradas um dos principais recursos para implantação de sistemas agroflorestais (SAF), os quais contribuem para a geração de renda para agricultores/coletores, como também aproximando-os da natureza, valorizando a floresta no contexto econômico e social, favorecendo na defesa da biodiversidade. Com o propósito de fomentar a implantação de projeto de Sistemas Agroflorestais Florestais, em municípios da região norte de Mato Grosso, em 2010 foi criada a Rede Sementes do Portal Amazonas (RSPA). Este artigo tem o objetivo de fazer uma análise do trabalho que a Rede de Sementes do Portal da Amazônia, vem desenvolvendo na região norte do estado de Mato Grosso. Como resultados foi constato que, a Rede Sementes do Portal Amazonas contribui direta e indiretamente para a preservação de serviços ecossistêmicos, garantindo a biodiversidade no território Portal da Amazônia, porém possui desafios que precisam ser superados para fortalecer a Rede, entre eles merece destaque à incerteza quanto a continuidade de recursos financeiros para o acompanhamento da Rede e a manutenção dos encontros entre seus integrantes. Palavras-chave: Sistemas Agroflorestais, Agroecologia, Desenvolvimento, Sustentável.
  • Descrição da Publicação

    RESUMO O presente trabalho objetivou caracterizar e identificar as espécies vegetais medicinais presente nos quintais agroflorestais (QAF) em comunidades rurais de agricultores familiares do Mato Grosso, nos municípios de Alta Floresta e Nova Canaã do Norte. A pesquisa analisou 44 quintais agroflorestais, 24 em Alta Floresta e 20 em Nova Canaã do Norte, implantados e manejados por agricultores familiares. Foram feitas visitas guiadas nos quintais no mês de agosto de 2017 a fim de mapear e identificar os diferentes usos dos recursos vegetais presentes. Foram citadas e identificadas 151 espécies vegetais medicinais, divididas em 62 famílias botânicas distribuídas em três estratos do consórcio agroflorestal. Destacam-se as famílias Asteraceae (15), Lamiaceae (15), Euphorbiaceae (13), Fabaceae (10), Myrtaceae e Rutaceae. Do total 76 espécies foram encontradas em ambos municípios, 38 espécies são cultivadas exclusivamente em Alta Floresta e 37 espécies são cultivadas em Nova Canaã Norte. Os resultados apontam uma ampla distribuição das espécies de plantas medicinais e diversificação nos quintais, nas diferentes comunidades. Palavras-chaves: Plantas medicinais, Etnobotânica, Sistemas agroflorestais.
  • Descrição da Publicação

    RESUMO Neste trabalho, a estrutura espacial de sistemas agroflorestais (SAF) é colocada como tema objeto de estudo, com ênfase na paisagem do município de Terra Nova do Norte-MT, pertencente ao bioma amazônico. O objetivo foi analisar a estrutura espacial dos imóveis rurais do município e dos SAF que os compõe; caracterizar e analisar a estrutura espacial das classes de cobertura e uso da terra em uma microbacia hidrográfica no município, relacionando-os à estrutura dos SAF e vegetação natural; e propor alternativas que visem melhorar e/ou conservar os aspectos relacionados a ecologia das paisagens analisadas. O capítulo 1 aborda a estrutura espacial dos imóveis rurais, e dos SAF que os compõe, na paisagem rural do município. A estrutura dos imóveis rurais reflete uma organização espacial que preconizou o acesso a fontes de água e a estradas, características da colonização. A estrutura dos SAF está relacionada com o seu objetivo como produção ou restauração e sua distribuição espacial demonstra uma inclinação para a diversificação da matriz produtiva e preocupação com a restauração e preservação dos recursos hídricos. O capítulo 2 traz a discussão sobre a estrutura espacial da cobertura e do uso da terra em uma microbacia hidrográfica no município, abordando o papel dos SAF no aumento da cobertura florestal e no cumprimento da legislação ambiental em diferentes cenários. A microbacia hidrográfica sofreu intensa fragmentação da vegetação natural para a implantação de pastagens. Deste modo, os SAF contribuem para a melhoria das características ecológicas da paisagem e apresentam-se como alternativa para a restauração da conectividade da paisagem fragmentada. Palavras-chave: Agroflorestas; Desmatamento na Amazônia; Ecologia de paisagem; Métricas de paisagem; Cobertura e uso da terra.
  • Descrição da Publicação

    RESUMO A relação humana com os sistemas de produção ocorre desde tempos remotos, porém os modelos convencionais têm gerado degradação dos ecossistemas, aumentando a busca por sistemas que favoreçam a agrobiodiversidade. O objetivo deste estudo foi a identificação e caracterização de agroecossistemas, com foco em quintais agroflorestais, presentes em propriedades rurais a fim de ressaltar a importância destes para a promoção da agrobiodiversidade, destacando espécies vegetais utilizadas para consumo e comercialização. Para tanto, foram realizadas entrevistas semiestruturadas, bem como visitas guiadas com observação direta em propriedades rurais familiares no Portal da Amazônia. No capítulo 1, foi analisada a riqueza de espécies vegetais em 24 quintais agroflorestais em Alta Floresta e 20 em Nova Canaã do Norte (MT). Foram identificadas 201 espécies, cultivadas para diversos usos, das quais 131 são alimenticias e 96 são comercializadas em várias fontes de comercialização. Os quintais apresentaram baixa similaridade entre si, com médias em torno dos 30% nos dois municípios, indicando grande heterogeneidade quanto à escolha de espécies pelos agricultores. Espécies arbóreas foram mais freqüentes, com ocorrência de espécies nativas dos ecossistemas amazônico e cerrado. No segundo capítulo, analisou-se os tipos de agroecossistemas ocorrentes em nove das propriedades, localizadas na comunidade Vila Rural em Alta Floresta, com respectivas riquezas de espécies e similaridades. Os resultados apontaram quatro subsistemas de produção, sendo os quintais agroflorestais, as hortas, os bosques e as roças, onde são cultivadas 136 espécies, utilizadas principalmente para alimentação. Os quintais foram os mais ricos em termos de espécies, com 71% e as roças os menos ricos com 14%. A similaridade não mostrou forte relação florisitica nestes subsistemas entre as propriedades e entre eles próprios, sendo a maioria dos índices apresentados, abaixo dos 50%, indicando diversificação nas espécies vegetais cultivadas e preferencias dos agricultores na escolha dessas espécies. Observa-se a relevância destes agroecossistemas para a diversificação agrícola, conservação da agrobiodiversidade, complementação alimentar e geração de renda nas comunidades rurais estudadas. Palavras chaves: Comunidades rurais, quintais agroflorestais, diversidade agrícola, manejo agroecológico, agricultura familiar.
  • Descrição da Publicação

    Resumo A qualidade da água nos riachos resulta de condições geológicas, pluviométricas, entre outras e principalmente, do tipo de ocupação das margens e do entorno. Este trabalho objetivou avaliar e comparar a influência de Sistemas Agroflorestais (SAF) na qualidade da água de riachos localizados em áreas rurais do município de Carlinda, Mato Grosso, Brasil. Cinco ambientes de estudo foram selecionados, sendo três SAF implantados por agricultores familiares em diferentes anos (2010, 2012, 2014); um ambiente de Mata Ciliar Nativa (MCN) e; um ambiente Sistema Pasto (SPas). Em cada ambiente fora determinado um transecto, iniciado na nascente em sentido a foz e assim, foram adotadas três medidas de comprimentos (pontos) para avaliação da qualidade hídrica. Nove variáveis limnológicas referentes aos períodos seco e chuvoso foram analisadas em cada ponto e os resultados foram comparados frente a Resolução nº 357/05 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA). Os resultados apontaram pior qualidade hídrica no período chuvoso. Oxigênio dissolvido (OD), pH e Fósforo total (P total) apresentaram, em sua maioria, resultados não conformes. Foram encontrados ambientes contaminados por coliformes totais e/ou E. coli na maioridas das análises, salvo o período seco do SAF 2012. Altos teores de P total foram observados no período chuvoso, indicando possível carreamento de material orgânico pelas chuvas. A comparação entre os ambientes revelou uma pior qualidade hídrica na MCN e melhor no SPas. Palavras chave: Qualidade hídrica, variáveis limnológicas, agricultura familiar.
  • Descrição da Publicação

    O avanço da pecuária é uma das principais causas do aumento do desmatamento na região Amazônica. Dentre as estratégias para superar este quadro encontra-se a implantação de sistemas silvipastoris, com a utilização de espécies arbóreas para cumprir diferentes funções dentro do sistema. O presente trabalho tem por objetivo avaliar o potencial das folhas do Inga edulis (Ingá de metro), Inga nobilis (Ingá Batom), Inga macrophylla (Ingá Facão), Inga pilosula (Ingá Mirim) e Inga laurina (Ingá de cacho), para o uso em alimentação animal. Para isso, foram realizadas análises bromatológicas de proteína bruta (PB), extrato etéreo (EE), matéria mineral (MM), fibra detergente neutro (FDN) e fibra detergente ácido (FDA), além de avaliação da digestibilidade da matéria seca e estudo das características dendométricas das árvores. As espécies que apresentaram melhor características para o uso em sistema silvipastil (SSP) foram o Inga edulis e I. macrophylla que se destacarem pelo maior teor de proteína bruta. No entanto, a digestibilidade de todas as espécies foi considerada baixa, limitando assim o seu uso para a alimentação dos animais durante o período seco do ano. Palavras chaves: Sistema silvipastoril; Nutrição animal; bromatologia; árvores nativas
  • Descrição da Publicação

    Resumo: O objetivo desse trabalho foi avaliar o potencial alelopático do feijão de porco no desenvolvimento de alface. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado sendo os tratamentos constituídos por quatro concentrações do extrato aquoso, além da testemunha constituída apenas por agua destilada com quatro repetições. Os tratamentos a partir da concentração 15% (p/v) de Canavalia ensiformis apresentaram completa inibição sobre a germinação de sementes e o desenvolvimento de plântulas de alface, demonstrando alto potencial para novas pesquisas direcionadas á práticas de manejo agroecológicos. Palavras-chave: leguminosa, alelopatia, germinação, extrato
  • Descrição da Publicação

    Resumo: O objetivo do presente estudo foi avaliar a atividade potencialmente alelopática de extratos aquosos e hidroalcoólicos de frutos de Solanum aculeatissimum sobre a germinação e o desenvolvimento inicial das sementes de alface. Os tratamentos foram constituídos por 4 extratores diferentes com concentração de 15% (peso/volume). As variáveis avaliadas foram porcentagem de germinação, comprimento da parte aérea, comprimento da raiz principal e índice de velocidade de germinação. O extrato aquoso de Solanum aculeatissimum apresentou um potencial alelopático, sendo indicado para estudos relacionados ao controle de plantas espontâneas em propriedades agroecológicas. Palavra chave: alelopatia, alface, germinação, planta espontânea.
  • Descrição da Publicação

    Resumo: Objetivou-se com o este trabalho avaliar o potencial alelopático do extrato aquoso de raízes de juá sobre a germinação do tomate, analisando-se porcentagem de germinação, índice de velocidade de germinação, comprimento total e massa seca. O experimento consistiu em delineamento inteiramente casualizado, com 4 repetições, 5 concentrações sendo 0; 2; 4; 8 e 16 mg/mL. O bioteste de germinação foi preparado em placas de Petri, forradas duas folhas de papel germiteste com 25 sementes por placa. Foram afetados pelos extratos a porcentagem germinação, IVG e comprimento total das plântulas. Conclui se que o extrato obtido das raízes de Solanum aculeatissimum Jacq teve efeito alelopatico sobre a porcentagem de germinação, IVG e comprimento total das plântulas.
  • Descrição da Publicação

    Resumo: O objetivo deste trabalho foi avaliar o melhor substrato e a temperatura ideal para germinação de sementes de Senegalia polyphylla (monjoleiro). O experimento analisou dois fatores (2x5), a temperatura onde se testou 25 e 30 ºC, e os substratos: entre e sobre vermiculita e papel, e rolo de papel. As sementes foram acondicionadas em câmara germinadora com fotoperiodo de 12 horas. A avaliação foi realizada pelo Percentual Inicial de Germinação, Germinação Final e Índice de Velocidade de Germinação. Os substratos rolo de papel e entre papel apresentaram melhores resultados nas em ambas temperaturas, no entanto a 30 ºC os percentuais foram mais elevados tanto para germinação quanto para IVG. Assim recomenda-se a utilização dos substratos de Rolo de papel e Sobre papel a temperatura de 30 ºC. Palavras-chave: monjoleiro; sementes florestais; potencial germinativo.
  • Descrição da Publicação

    Resumo: O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de tratamentos pré- germinativos em sementes de Ceiba speciosa. As sementes foram submetidas a sete tratamentos sendo eles: testemunha, imersão em água por 24 e 48 horas, imersão em água quente até esfriar, imersão em nitrato de potássio por 48 e 24 horas. Após a aplicação dos tratamentos, as sementes foram levadas para germinação em câmara germinadora com fotoperiodo de 12 horas com 25 ºC, por 36 dias. Os melhores resultados foram observados para o tratamento com imersão em nitrato de potássio a 5% por 24 horas sendo recomendado para obtenção de maiores percentuais de germinação e uniformidade do processo para a espécie estudada. Palavras-chave: Paineira; sementes florestais; nitrato de potássio.
  • Descrição da Publicação

    Resumo: Por ser uma espécie pioneira e de crescimento rápido, P. frutescens (guaraná do mato) é recomendada para recuperação de áreas degradadas, sendo importante estudos sobre produção e germinação de suas sementes. Assim, o objetivo deste trabalho é determinar o efeito da embebição em sementes de Pseudima frutescens (Aubl.) Radlk, e verificar qual o melhor substrato para teste de germinação desta espécie. Para instalação do experimento foram utilizados cinco tratamentos constituídos de: EV = Entre vermiculita, SV= sobre vermiculita, EP = entre papel, SP = sobre papel, RP=rolo de papel, associados a embebição ou não das sementes por 48 horas. Posteriormente analisou-se a Porcentagem Inicial de Germinação, Germinação Final e Índice de Velocidade de Germinação. P. frutescens apresentou melhores resultados de germinação em substrato entre vermiculita. E a prática de embebição permitiu maior uniformidade e velocidade durante a germinação. Palavras-chave: Tratamento pré-germinativo; guaraná do mato; vermiculita; recuperação de áreas.
  • Descrição da Publicação

    Cochlospermum (Bixaceae) é um pequeno gênero tropical com cerca de 15 espécies, com a maioria de ocorrência na América do Sul. Em geral são árvores de pequeno a médio porte, decíduas, que florescem quando sem folhas produzindo uma grande quantidade de flores grandes, e numerosas sementes pequenas e aladas. Sendo que as sementes apresentam baixa viabilidade e prolongado período para germinação. As sementes utilizadas neste estudo são provenientes do Instituto Ouro Verde Alta Floresta-MT, e coletadas em parceria com agricultores familiares, para formação de agroflorestas. Assim, o objetivo deste estudo foi analisar diferentes tratamentos para superação de dormência em sementes de Cochlospermum, melhorando os índices de germinação da espécie em plantios á campo. Os tratamentos avaliados foram: Escarificação mecânica com lixa (T1), Imersão em agua á 85 graus por 10 minutos (T2), Imersão em agua á 100 graus por 5 minutos (T3), Imersão em agua fria por 48 horas (T4), e Testemunha–sem tratamento (T5). O teste de germinação foi realizado em câmara incubadora, com fotoperíodo de 12 horas/luz e temperatura de 25 ºC. O substrato utilizado foi vermiculita com as sementes dispostas sobre este em caixas gerbox. O experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualisado com quatro repetições de 25 sementes por tratamento. As variáveis analisadas foram Porcentagem Final de germinação e Índice de Velocidade de Germinação (IVG). O teste foi conduzido até a estabilização da germinação sendo consideradas germinadas as sementes que deram origem á plântulas normais. Aos 60 dias da instalação do teste obteve-se os seguintes percentuais de germinação: T1=22, T2= 0, T3=0, T4=6 e T5=0. Portanto o tratamento com escarificação mecânica apresentou os melhores resultados, para o IVG, encontrou-se o mesmo padrão com o T1 com o índice mais elevado, podendo ser indicado para superação de dormência da espécie em estudo. Palavras-chave: Algodãozinho, Germinação, Espécie Florestal
  • Descrição da Publicação

    O gênero Byrsonima (Malpighiacea) apresenta como unidade de dispersão e de propagação o pirênio, popularmente conhecido como caroço, constituído pelo conjunto endocarpo e semente, ocasionando dificuldades no processo da germinação, havendo necessidade de adotar tratamentos pré-germinativos para superação da dormência tanto fisiológica como exógena. As sementes utilizadas neste estudo são provenientes do Instituto Ouro Verde Alta Floresta-MT, e coletadas em parceria com agricultores familiares, para formação de agroflorestas. Assim, o objetivo deste estudo foi analisar diferentes tratamentos para superação de dormência em sementes de Byrsonima sp. melhorando os índices de germinação da espécie em plantios á campo. Os tratamentos avaliados foram: Testemunha (T1), Fraturamento do pirênio (T2), Fraturamento e embebição em água por 48 horas (T3), Embebição em solução contendo 250 g/L de ácido giberélico (AG) por 24 horas (T4), Embebição em AG 250 g/L por 48 horas (T5). Embebição em AG 500 g/L por 24 horas (T6), Embebição em AG 500 g/L por 48 horas (T7). O teste de germinação foi realizado em câmara incubadora, com fotoperíodo de 12 horas/luz e temperatura de 25 ºC. O substrato utilizado foi vermiculita com as sementes dispostas sobre este em caixas gerbox. O experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualisado com quatro repetições de 25 sementes por tratamento. As variáveis analisadas foram Porcentagem Final de germinação e Índice de Velocidade de Germinação (IVG). O teste foi conduzido até a estabilização da germinação sendo consideradas germinadas as sementes que deram origem á plântulas normais. Aos 60 dias da instalação do teste obteve-se os seguintes percentuais de germinação: T1=0, T2= 0, T3=16, T4=29, T5=51, T6=27, T7=10. Os tratamentos 4(0,23) e 5(0,44) apresentaram os maiores valores de IVG. Portanto o tratamento T5 com Embebição em AG 250 g/L por 48 horas pode ser indicado para superação de dormência em sementes de Byrsonima sp. Palavras-chave: Murici, Germinação, Espécie Florestal
  • Descrição da Publicação

    O objetivo deste estudo foi analisar diferentes tratamentos para superação de dormência em sementes de Chloroleucon acacioides (Ducke) Barneby & Grimes. .As sementes utilizadas foram provenientes do Instituto Ouro Verde Alta Floresta-MT, e coletadas em parceria com agricultores familiares da região. Os tratamentos utilizados constituíram-se de: Imersão em ácido sulfúrico por 30 minutos, Imersão em soda caustica a 40% de concentração por 10, 20 e 40 minutos, Imersão em soda caustica a 70% de concentração por 10 minutos, 20 e 40 minutos, e imersão em água quente (50 Cº) por 15, e 30 minutos e testemunha (sem tratamento). Após a instalação os tratamentos foram mantidos em câmara de germinação, com temperatura constante, e foto período de 12 horas. A contagem do número de sementes germinadas foi realizada diariamente durante 31 dias, até estabilização do número de sementes germinadas. Foram consideradas germinadas as sementes que originaram plântulas normais. Os dados foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste Tukey a 5% de probabilidade. Constatou-se a superioridade do tratamento com ácido sulfúrico, que obteve 89 % de germinação final, enquanto a testemunha apresentou 10%. Os tratamentos com soda caustica, proporcionaram percentuais que variaram de 11 a 20%, e os tratamentos com agua quente não diferiram da testemunha. Assim o ácido sulfúrico se mostrou eficiente para superação de dormência em sementes de Chloroleucon acacioides. Palavras-chave: Jurema, Germinação, Espécie Florestal
  • Descrição da Publicação

    Indicação de substrato para teste de germinação de Diospyros hispida A.DC. Diospyros brasiliensis (Ebenaceae) é uma espécie americana encontrada em formações primárias e secundárias de florestas semidecíduas e áreas de transição para a savana. A espécie apresenta escassas informações sobre sua propagação, bem como indicações sobre teste de germinação. Assim, o objetivo deste estudo foi analisar diferentes substratos e disposição de sementes para teste de germinação de Diospyros brasiliensis. Os tratamentos avaliados foram: Sobre papel (T1), Entre papel (T2), Sobre Vermiculita (T3), Entre Vermiculita (T4), e Rolo de Papel (T5). O teste de germinação foi realizado em câmara incubadora, com fotoperíodo de 12 horas/luz e temperatura de 25 ºC. O experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualisado com quatro repetições de 25 sementes por tratamento. As variáveis analisadas foram Porcentagem Final de germinação e Índice de Velocidade de Germinação (IVG). O teste foi conduzido até a estabilização da germinação sendo consideradas germinadas as sementes que deram origem á plântulas normais. Aos 65 dias da instalação do teste obteve-se os seguintes percentuais de germinação: T1=48, T2= 70, T3=76, T4=90 e T5=92. Quanto ao IVG constatou-se os seguintes valores: T1=0,14, T2= 0,32, T3=0,35, T4=0,54 e T5=0,63. Assim, os substratos recomendados para condução de testes de germinação para Diospyros brasiliensis são Entre Vermiculita (T4) e Rolo de Papel (T5). Palavras-chave: Caqui do mato, Espécie Florestal, viabilidade.
  • Descrição da Publicação

    A Rede de Sementes do Portal da Amazônia coordenada pela organização não governamental “Instituto Ouro Verde” (IOV) e grupos de agricultores familiares surgiu da necessidade de recuperar áreas degradadas a partir do conhecimento popular e da prática da coleta de sementes já existentes em comunidades da região Norte de Mato Grosso. O HERBAM é parceiro nesse projeto, coletando e identificando o material botânico. Atualmente, cerca de 100 coletores dos municípios de Alta Floresta, Apiacás, Carlinda, Nova Canaã do Norte, Colíder, Nova Guarita, Nova Santa Helena e Terra Nova do Norte, distribuídos em 12 comunidades, participam dessa Rede. As sementes coletadas são vendidas para a Rede de Sementes do Portal e redistribuídas para os municípios integrantes do projeto para recuperação das áreas degradadas de suas propriedades. Assim, considerando a importância ecológica e econômica da família Leguminosae, o estudo objetivou analisar a riqueza de espécies coletadas pelos agricultores da Rede Sementes do Portal. As coletas botânicas nas comunidades integrantes do projeto ocorreram durante expedições mensais em 2014 e no primeiro semestre de 2015. Amostras dos vegetais foram coletadas e herborizadas conforme metodologias usuais, identificadas a partir de revisões taxonômicas, imagens do New York Botanical Garden e parataxonomistas, seguindo a classificação do APG III, posteriormente, incorporadas ao acervo do Herbário da Amazônia Meridional (HERBAM). Coletou-se 141 espécimes de Leguminosae distribuídos em 31 gêneros e 51 espécies. As espécies Senegalia polyphylla (DC.) Britton & Rose, Ormosia grossa Rud e Hymenaea courbaril L. apresentaram o maior número de espécimes coletados com 11, 9 e 8 amostras, respectivamente. As comunidades “Estrela do Sul” no município de Alta Floresta e “Rondon”, no município de Nova Canaã do Norte, apresentaram a maior riqueza de espécies amostradas com 18 e 16 espécies, respectivamente. Das espécies de Leguminosae coletadas, destacaram-se em valor de comercialização (quilo): Tachigali subvelutina (Benth.) Oliveira-Filho (R$ 250,00), Apuleia leiocarpa (Vogel) J.F.Macbor (R$ 200,00), Anadenanthera colubrina (Vell.) Brenan e Anadenanthera peregrina (L.) Speg. (R$ 150,00 cada). Assim, a elevada riqueza de espécies da família Leguminosae evidencia o vasto conhecimento dos coletores de sementes como fonte sustentável de renda e na recuperação de áreas degradadas no Portal da Amazônia. (Fundo Amazônia/ BNDS & Rede de Sementes do Portal da Amazônia). Palavras-chave: Fabaceae, uso sustentável, coletores botânicos.
  • Descrição da Publicação

    O presente estudo teve como objetivo avaliar a germinação de sementes de Dipteryx odorata recém colhidas e armazenadas por um período de 130 dias bem como comparar a germinação das sementes limpas ou semeadas com a polpa dos frutos. Os frutos foram obtidos por coletores da Rede de Sementes do Portal da Amazônia em junho de 2014. O experimento foi realizado no Centro de Pesquisa do Instituto Ouro Verde em Alta Floresta, MT. O delineamento utilizado foi blocos casualizados, com 4 tratamentos e 4 repetições de 25 sementes, num total de 400 sementes amostradas, semeadas em canteiros preenchidos com areia como substrato. Foram testadas sementes recém colhidas nas condições com e sem a retirada do mesocarpo. E sementes armazenadas durante 130 dias em barricas de papelão sob temperatura ambiente, também nas condições de semeadura com e sem o fruto. Foram avaliados a porcentagem de germinação e a velocidade de germinação em dias. As análises de variância demonstraram efeito altamente significativo em relação aos tratamentos testados para ambas variáveis. As maiores taxas de germinação foram obtidas nos tratamentos com as sementes recém colhidas, tanto na semeadura do fruto quanto na semente limpa, as médias foram 92% e 91% respectivamente. O armazenamento em temperatura ambiente por 130 dias resultou em perdas nas taxas de germinação sendo de 50% para a semente armazenada limpa e 71% para a semente armazenada com o fruto. Quanto à variável velocidade de germinação (VG), o processo germinativo foi mais rápido quando as sementes foram limpas, sem o mesocarpo, com média de 17,3 dias. Quando a semeadura foi realizada com o fruto inteiro o tempo médio de germinação foi de 40 dias. Conclui-se que a semeadura seja realizada assim que os frutos sejam colhidos e que não há necessidade de se realizar o despolpamento dos frutos, sendo considerada a unidade de dispersão como o fruto. Em caso da necessidade de armazenamento este deve ser realizado com o fruto inteiro. Palavras-chave: “champanhe”; “sementes”; “germinação”
  • Descrição da Publicação

    O presente trabalho ira avaliar as mudas de Cupuaçu (Theobroma grandiflorum) e Cacau (Theobroma cacao), pós são espécies que tem grande valor comercial e por adaptarem bem em lugares úmidos e sombreados. Os mesmos destacam – se, pois são espécies cuja expansão comercial e produtiva vem ocorrendo crescentemente na maioria dos Estados do Norte, mas vem conquistando espaço em diversas regiões do país. Essas culturas têm sido responsáveis por um grande aumento na produção, comercialização, industrialização e exportação, pois apresenta diversos segmentos na sua cadeia produtiva. Por serem espécies muitos procuradas por agricultores e agriculturas acabaram gerando grandes gastos ao projeto. Por serem plantas que estão sendo implantadas recentemente em áreas de recuperação ambiental, o presente trabalho tem como objetivo caracterizar os principais problemas que possivelmente esta ocasionando a mortalidades dessas mudas e apontar as possíveis causas.
  • Descrição da Publicação

    Although globally family farmers constitute 98% of all farmers and produce 53% of the food supply, they also constitute the majority among the world’s impoverished and hungry populations. Debate remains on how to design development programs aimed at improving this current state of family farming. Despite disagreements on specific development approaches, the tremendous diversity among family farmers across the globe indicates the need for context-specific strategies to strengthen this group. The following research aims to understand family farming livelihoods in the context of the Amazon frontier in the Brazilian state of Mato Grosso. Data obtained from household surveys conducted among family farming communities in nine municipalities within this region were combined with secondary data to determine whether family farming livelihood strategies and scenarios varied across differing levels of frontier consolidation. Analysis of this data reveals distinct strategies and scenarios that vary in a non- linear pattern along stages of frontier consolidation. In general, the primary strategy of risk reduction employed by farmers included diversifying their farming systems with market-oriented activities (cattle raising) and subsistence farming rather than seeking for off-farm sources of income. The production of other food products (not cattle related) is insignificant and would require multi-scale and multi-institutional efforts to became reality. While in the less and more consolidated stages, the demands are stronger on diversification of market and governance processes, the new frontier stage needs first to solve issues related to physical assets and regulation aspects of land and farmers.
  • Descrição da Publicação

    Resumo Diversos estudos apontam iniciativas em Sistemas Agroflorestais (SAFs) que buscam o manejo sustentável dos ecossistemas, como meio de viabilizar sistemas produtivos adaptados aos ecossistemas florestais tropicais. Consistem na consorciação de espécies florestais com cultivos agrícolas e promissores para recuperação de áreas degradadas, especialmente por agricultores familiares. Pequenos produtores do extremo norte do Mato Grosso utilizam a técnica denominada “muvuca de sementes” para o plantio de SAFs. O objetivo deste trabalho foi de avaliar alguns desses SAFs, comparando aqueles com objetivo de produção e de recuperação. Foram realizados inventários fitossociológicos dos indivíduos arbóreos e realizadas entrevistas com os agricultores responsáveis pelos plantios. O tamanho dos plantios variou entre 0,5 e 2,5 ha e apresentaram composição e estrutura diferente devido à diversidade de técnicas de plantio e manejo de cada agricultor. O planejamento dos SAFs era feito de acordo com o estágio da sucessão e a estratificação de cada espécie. O manejo tanto nas áreas de recuperação quanto nas de produção ainda é uma prática incipiente entre os agricultores. Foram contabilizados 4654 indivíduos de 169 espécies, resultando em densidade de 2068 indivíduos/ha e área basal de 624,84 m²/ha. De acordo com a análise de variância não foi possível admitir diferença significativa na área basal, altura, densidade de indivíduos, riqueza e índice de Shannon, entre os SAFs de produção e de recuperação. Dez espécies representam pouco mais de 50% da porcentagem de importância, sendo que as três espécies mais frequentes, que compõem o consórcio predominante do estágio analisado foram Schizolobium parahyba var. amazonicum, Bixa orellana e Trema micranta, classificadas como pioneiras ocupando os estratos emergente, médio e alto, respectivamente. Uma demanda importante para a evolução e difusão dos SAFs sucessionais plantados por “muvuca de sementes” são pesquisas que esclareçam como se dá a distribuição das espécies nos nichos ecológicos, a fim de delinear os princípios para o manejo a ser realizado pelos agricultores. Palavras-chave: Sistemas Agroflorestais, produção agrícola, recuperação florestal, plantio direto de sementes, sucessão, estratificação.
  • Descrição da Publicação

    O presente trabalho é um estudo da comunicação rural e comunitária como ferramenta de cidadania, mobilização e incentivo de jovens moradores de comunidades rurais, por meio dos trabalhos do Jornal Muvucando. Esta pesquisa busca compreender o cenário em que os jovens estão inseridos e as ferramentas que possam incentivá-los a permanecer no campo. Sua efetivação foi por meio de uma pesquisa participante, por meio de oficinas para aproximar conceitos de comunicação comunitária e escrita aos grupos de comunicação, intitulados Bases de Comunicação, que formam uma Rede de Comunicadores do Território Portal da Amazônia e tem como proposta o surgimento de um blog como ferramenta colaborativa dentro das bases de comunicação. Palavras-chave: comunicação comunitária; Muvucando; comunicação rural; bases de comunicação; educomunicação; cidadania; Portal da Amazônia (MT).
  • Descrição da Publicação

    A realização do trabalho teve como objetivo apresentar benefícios de espécies arbóreas em pastagens. Adoção dessa técnica traz aspectos positivos em todo sistema produtivo, tendo como melhoria no solo/planta/animal. Os dados foram coletados no município de Nova Guarita- MT e Nova Canaã do Norte-MT, no pico de estiagem (Agosto/2017) e no pico do período chuvoso (Fevereiro/2018). Foram utilizados 5 espécies arbóreas sendo elas Amoreira (Maclura tinctoriae); Bordão de velho (Samanea tubulosa); Ipê (Handroanthus serratifolius); Pente de Macaco (Apeiba tibourbou Aub); Roxinho (Platymiscium floribundum) com intuito de avaliar uma melhora na fertilidade do solo através do retorno de nutrientes e atuação na descompactação através das raízes das arvores. Avaliação ocorreu dentro da projeção da copa das arvores a 2 metros a partir do tronco e 5 metros de distancia a partir do termino da projeção das copas em duas profundidades 0-10 cm e 10-20 cm, sendo realizado analises químicas foliares e de solo do tipo rotina, levando em consideração K, Ca, Mg, P, pH, V% e como complemento o uso de cromatografias de Pfeiffer. O método utilizado para medir compactação foi através de penetrometro de impacto. Analises estatísticas utilizadas foi o teste U de Mann Whitney, considerando 95% de intervalo de confiança e nível de significância de 5%. Houve diferença estatística na descompactação nas espécies Amoreira e Ipê. Observou-se acréscimo significativo nos teores de potássio sob a projeção da copa das espécies Pente de Macaco e Ipê dentro da área de influencia em camadas de 0-10 cm. A Amoreira e o Pente de Macaco apresentaram maiores teores de Ca e Mg, na área de sombreamento, em camadas de 0-10 cm no período chuvoso. As espécies Amoreira, Ipê e Pente de macaco, apresentaram percentuais maiores dentro da área de influencia diferenciando significativamente, em profundidades de até 10 cm. Neste sentido pode-se afirmar que as arvores não apresentaram efeitos negativos nas pastagens, porem cada espécie contribuiu em um determinado contexto, podendo focar na diversidade de espécies melhorando a eficiência do sistema como um todo. Palavras- chave: Fertilidade do solo, Matéria orgânica, ciclagem de nutrientes.
  • Descrição da Publicação

    RESUMO Problemas como a degradação de pastagens e escassez de alimentos para os bovinos nas épocas de estiagem são desafios permanentes para a pecuária no Norte de Mato Grosso. De fato, estes fatores representam uma constante pressão por abertura de novas áreas ou mesmo a elevação dos custos de produção, dada a necessidade de suplementação nutricional na época seca. Assim, busca por novos modelos de produção, como a utilização de sistemas silvipastoris com plantas nativas que possam ser usadas para a alimentação dos bovinos pode representar importante avanço no setor. O babaçu é uma planta rústica amplamente presente nas áreas de pastagem no Noroeste do Mato Grosso. Considerando a realidade da pecuária de corte e leite nesta região, a presença de babaçuais e a atividade de produção de óleo e extração de farinha de mesocarpo de babaçu iniciada por grupos de mulheres, a presente pesquisa teve como objetivo caracterizar o potencial nutritivo da farinha de mesocarpo do babaçu e identificar características que possam limitar o consumo deste alimento por bovinos. Foram analisadas as frações de Matéria Seca, Matéria Mineral, Extrato Etéreo, Proteína Bruta, Nitrogênio insolúvel em detergente ácido, Nitrogênio insolúvel em detergente neutro, Fibra detergente ácida, Fibra detergente neutra, carboidratos totais, carboidratos não fibrosos, amido e taninos, além de realizado ensaio de degradabilidade. Os resultados apontam para o elevado teor energético deste alimento, com baixo teor de proteína. A quantidade de taninos totais, taninos condensados e fenóis totais não pode ser considerada suficiente para limitar o consumo do farelo de babaçu. Palavras-chave: Alimentação, Bromatologia, Taninos.
  • Descrição da Publicação

    Tendo em vista que os desafios ambientais estão se tornando mais comuns no atual Antropoceno, há uma necessidade crescente de se entender os fatores que favorecem um comportamento sustentável. Um fator sugerido por várias pesquisas é a (re)conexão com a natureza. Esta pesquisa tem como objetivo descobrir se a pedagogia escolar possui um papel neste processo, ao investigar a relação entre a conexão com a natureza de estudantes e a abordagem pedagógica utilizada pela escola em que frequentam. Para isto, esta pesquisa empregou o método “ACHUNAS”, desenvolvido recentemente para avaliar onde e como as crianças desenvolvem uma conexão com a natureza. Três escolas do campo participaram desta pesquisa: uma escola convencional e duas escolas alternativas. Utilizando os métodos de entrevistas semiestruturadas e observações participativas, esta pesquisa descobriu que há uma relação entre a abordagem pedagógica da escola e a conexão com a natureza dos seus estudantes. As escolas alternativas ofereceram experiências na natureza com maior frequência e variação comparadas à escola convencional. Os estudantes das escolas alternativas mostraram maiores habilidades de conexão com a natureza do que os estudantes da escola convencional. Os estudantes das escolas alternativas afirmaram que a escola mudou a conexão deles com a natureza, enquanto que a metade dos estudantes na escola convencional disseram que a escola não teve um impacto na conexão deles com a natureza. Além dos resultados relacionados à relação entre a pedagogia e a conexão com a natureza, esta pesquisa descobriu dois aspetos da conexão com a natureza que poderiam ser incluídos no ACHUNAS. Palavras-chave: conexão com a natureza, pedagogia situada, educação do campo, educação ambiental, avaliação
  • Descrição da Publicação

    O manejo de Produtos Florestais Não Madeireiros (PFNM) para produção de sementes no Território do Portal da Amazônia, além de possibilitar o acesso de sementes florestais para ações de recuperação e adequação de passivos ambientais, assume a administração da floresta para a obtenção de benefícios econômicos, sociais e ambientais. O presente estudo tem como objetivo geral analisar a dinâmica da produção de sementes florestais no âmbito da Rede de Sementes do Portal da Amazônia a partir das seguintes dimensões: (i) operacionalização dos arranjos produtivos e adequação legal; (ii) produção de sementes florestais sob diferentes práticas e técnicas; e a (iii) influência da atividade nos meios de vida locais. O levantamento de dados foi realizado por meio dos métodos de observação participante, entrevista semiestruturada, pesquisa documental, levantamento socioeconômico e medição a campo. O arranjo social produtivo para produção de sementes tropicais contribui para integração entre os grupos sociais locais, favorecendo assim o acesso ao conhecimento de um maior número de espécies e a socialização de conhecimentos e práticas realizadas, garantindo o aprimoramento e convívi o com os recursos naturais locais. Além disso, diversifica a produção das propriedades e aumenta a opção de renda nas comunidades rurais, aspectos importantes para resiliência da agricultura familiar. De modo geral, a cadeia de valor das sementes florestais influência de forma positiva nos meios de vida locais em todos os níveis de organização social. Palavras-chave: PFNM; Restauração florestal; Meios de vida; Coleta de sementes
  • Descrição da Publicação

    RESUMO A atividade de coleta e beneficiamento de sementes no Território do Portal da Amazônia, além de possibilitar o acesso de sementes florestais para ações de recuperação ambiental, admite a administração da floresta para a obtenção de benefícios econômicos, sociais e ambientais. O presente estudo traz uma análise sobre a influência da atividade na renda familiar e na conservação florestal no âmbito da Rede de Sementes do Portal da Amazônia. O levantamento de dados foi realizado por meio dos métodos de entrevista semi estruturada, pesquisa documental, observação participante e levantamento socioeconômico. A atividade da Rede de Sementes do Portal da Amazônia concilia produção e conservação florestal através da diversificação de renda e do fomento da “floresta em pé” como componente estratégico de produção econômica.
  • Descrição da Publicação

    Resumo: A viabilidade polínica é um dos fatores responsáveis pela seleção de genótipos para programas de melhoramentos, pois os grãos de pólen viáveis influenciam diretamente o sucesso da fertilização e propagação da espécie, Neste contexto, o presente trabalho teve como objetivo estimar a viabilidade polínica de dez variedades de P. vulgaris. Para a estimativa da viabilidade polínica foram analisados 500 grãos de pólen por lâmina em um total de três lâminas por tratamento, totalizando 1500 grãos de pólen por tratamento. A viabilidade polínica foi estimada utilizando a solução tripla de Alexander. A viabilidade do feijão comum foi considerada média, pois o mesmo obteve média de 52,30%, já o feijão vage obteve média geral de 81,35, considerada alta. Palavras-chave: Pólen; Sementes crioulas; Biologia reprodutiva; Germoplasma;
  • Descrição da Publicação

    Resumo: A prática de conservação de recursos genéticos vegetais tem uma relevância socioeconômica muito grande na qualidade de vida dos agricultores familiares. Em decorrência disso objetivou-se traçar o perfil socioeconômico de agricultores familiares que conservam feijão crioulo em suas propriedades no Norte e Noroeste do Mato Grosso. Com o total consentimento dos agricultores foram aplicados sete questionários semiestruturados sendo um em Alta Floresta, três em Colíder, um em Cotriguaçu e dois em Nova Guarita. Os questionários foram compostos por perguntas abertas e fechadas. Após o questionário foi realizada a coleta de uma amostra de feijão crioulo. Os agricultores familiares entrevistados demonstram que estão satisfeitos com a produção das variedades de feijão crioulo. A prática de conservação das variedades crioulas compreendem uma importante ação de conservação dos materiais genéticos crioulos, mantendo assim os agricultores familiares como um instrumento eficaz de preservação dos recursos genéticos. Palavras-chave: Variedades Crioulas; Germoplasma; Questionários; Agricultura Familiar.
  • Descrição da Publicação

    Resumo Os sistemas agroflorestais (SAFs) permitem recuperação florestal aliada a produção agrícola e geração de renda. Este trabalho objetivou caracterizar SAFs implantados com “muvuca” de sementes em propriedades familiares no norte do Mato Grosso. Para isso, foram realizados levantamentos de espécies arbóreas em 30 SAFs, dos quais 15 visavam a recuperação de APPs e 15 a produção agrícola. Também foram aplicados questionários para elucidar pormenores do plantio e manejo. Foram contados 4654 indivíduos, pertencentes a 177 espécies e 39 famílias. As famílias mais abundantes foram Fabaceae, Malvaceae e Myrtaceae, e as espécies mais frequentes foram Schizolobium parahyba var. amazonicum, Bixa orellana, Bauhinia sp. e Senegalia polyphylla. Os SAFs estudados foram promissores na recuperação de APPs e a técnica de “muvuca” de sementes mostrou-se eficiente para o estabelecimento das espécies arbóreas. Palavras-chave: Instituto Ouro Verde, recuperação florestal, agricultura familiar.
  • Descrição da Publicação

    A produção agropecuária no Brasil tem grande importância para economia. Porém, a expansão das fronteiras agropecuárias e os modelos de exploração utilizados geram impactos negativos sobre o meio ambiente. Preocupações e ponderações nesse sentido e tentativas para otimização do uso da terra e recursos tem sido repensados. A integração de sistemas com uso e manutenção de espécies nativas do bioma em que está inserido é uma forma de preservação que considera o cenário da preservação ambiental e também gera benefícios para o sistema de produção, diminuindo a dependência de insumos externos. O uso de alimentos nativos pode representar uma alternativa para produtores, onde esses insumos estão presentes na própria região, fornecendo os nutrientes e diminuindo a dependência do uso de alimentos tradicionais utilizados na dieta de animais, o que pode também gerar diminuição dos custos. Porém, para se indicar o uso dos alimentos alternativos é preciso conhecer a composição nutricional dos mesmos, oferecendo informações para possibilitar a complementação ou substituição da dieta. Dessa forma, os sistemas de produção têm que passar por transformações conceituais para alcançar o equilíbrio entre o avanço tecnológico e a preservação ambiental, assegurando a produtividade e a competitividade dos sistemas de produção. A utilização dos recursos existentes na propriedade indica ser um caminho possível para melhorar a nutrição de animais e a preservação do meio ambiente.
  • Descrição da Publicação

    As agroflorestas são consideradas uma das mais completas formas de ocupação do solo devido, principalmente, ao potencial de conciliar produção de alimentos e preservação da biodiversidade. Entretanto, ainda existem grandes lacunas no conhecimento para o fortalecimento desta técnica, especialmente tratando-se de agroflorestas sucessionais e com alta diversidade de espécies. A presente pesquisa procurou identificar, por meio de entrevistas, os fatores relacionados à adoção de práticas de manejo de agroflorestas em um grupo de 50 agricultores no município de Nova Guarita, MT. Todos começaram a plantar agrofloresta a partir de 2010. Os resultados indicam que a adoção das práticas de manejo relacionou-se principalmente aos objetivos do plantio, além de questões ligadas aos valores e experiências anteriores dos agricultores com sistemas diversificados de produção. As condições concretas existentes nas propriedades, com relação à mão de obra, comercialização de produtos e capacitação também se relacionaram ao manejo.
  • Descrição da Publicação

    A semente do Urucum, fruto do urucuzeiro (Bixa orellana L.) faz parte da culinária brasileira utilizada como corante natural, sendo considerada benéfica por suas propriedades medicinais, é vendida por quilograma na região. Embora as sementes de urucum tenham certa uniformidade, a exatidão da quantidade de sementes para fornecer um quilo do produto é incerta por conta da variação existente no peso de uma semente para outra. Dessa forma o objetivo desse trabalho é construir o intervalo de confiança, com 95%, para o peso de sementes de urucum e estimar, com base nesse intervalo de confiança a quantidade de sementes em um quilo do produto. Para isso foram amostrados vinte lotes com 1000 sementes puras e de boa qualidade, armazenados em sacos de polietileno, pesados em balança de precisão. As sementes que formaram a amostra foram doadas pela Casa de Semente Veraneio (CSV), um dos grupos que faz parte da Rede Semente Portal da Amazônia (RSPA). Os pesos foram registrados e posteriormente analisados com enfoque na estatística descritiva, com a construção do intervalo de confiança para a média do peso de 1000 sementes. Após isso, por regra de três simples, foi estimado o número de sementes necessário para adquirir um quilo do produto, formando outro intervalo de confiança. A análise descritiva e construção dos intervalos de confiança foram realizados com o auxílio do software R. O peso médio de 1000 sementes é de 21,28 ± 0,25 gramas, onde os dados apresentam comportamento segundo a distribuição normal de probabilidade. Segundo o intervalo de confiança, o peso de 1000 sementes varia entre 21,16 e 21,40 gramas, e firmado nisso, para compor um quilo de sementes, seria necessário um montante entre 46,729.00 e 47,259.00 sementes. Com o conhecimento de que as variações climáticas interferem na formação dos frutos, as diferenças observadas no quantitativo de sementes necessárias para fornecer um quilo podem ser justificadas. Embora esse estudo proporcione melhor compreensão do comportamento do peso, estudos com a mesma espécie oriundas de diferentes lugares são necessários para se obter maiores informações sobre essa variação e quantidades de sementes para formação de um quilo do produto. Palavras Chave: analise descritiva, quantitativo de sementes, formação de quilograma, variação climática
  • Descrição da Publicação

    Since 2016 an unelected government has controlled Brazil’s federal administration and pursued an agenda that directs resources away from broadly popular social programs and toward agro-industrial development projects that benefit powerful landholders (who are often referred to as “producers” or produtores). Amazonian landholders defend these policies as necessary to promote agro-industrial growth, which purportedly benefits Brazil as a whole. Herein we see the authoritarian-populist logic in operation that excludes a majority of people in the name of benefiting a minority that is said to represent all “the people.” To devise and implement alternatives to such a situation, the grassroots non-governmental organization Instituto Ouro Verde (IOV) advances agro-ecological programs in support of “agricultores”: people who collectively recompose damaged ecologies to create conditions hospitable to a wide range of humans and nonhumans. Recent scholarship on authoritarian populism tends to focus on the performances and declarations by which those excluded from official figurations of “the people” make for themselves a way into spaces of political discussion. IOV programs remind us that, in Amazonia, the construction of “a people” never takes place in an ecological vacuum. Beyond declarations and performances, agricultores become a people by creating ecological conditions in which their claims may flourish.
  • Descrição da Publicação

    O presente trabalho analisa os dados declarados no CAR (Cadastro Ambiental Rural) para a caracterização e avaliação da adequação ambiental de um assentamento rural no Portal da Amazônia (norte do estado de Mato Grosso) e discorre sobre sua utilização como ferramenta de gestão territorial. São representados, a partir de dados geográficos plotados na forma de mapas, dados de cobertura vegetal nativa, presença de áreas rurais consolidadas e limites de 61 imóveis rurais. Nota-se expansão dos limites do assentamento nas informações declaradas pelos produtores rurais em comparação aos limites originais, uma alta concentração de propriedades com mais de 90% de sua área total com áreas de uso consolidado. Conclui-se que o CAR pode ser uma importante ferramenta para a gestão territorial de assentamento rurais. citação: PAULA, R. P. ; DE-ALMEIDA, D. C. ; CAVALIERI SAIS, A. ; OLIVEIRA, R. E. Políticas públicas na geração de informações geográficas: Análise do banco de dados CAR para um assentamento rural na Amazônia Legal. In: x Congresso Brasileiro de Agroecologia, 8., 2017, Brasília. Anais...Brasília: ABA, 2018
  • Descrição da Publicação

    Trabalho apresentado durante o ESADR 2016 em Coimbra, Portugal.